• Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon
  • Instagram Social Icon

+381 60 417-8876

© 2020 por Bem-vindo à Sérvia.

VALJEVO - natureza e história à beira do rio Gradac


A Sérvia é uma caixinha de surpresas. Aonde quer que você vá, saiba que sempre se surpreenderá. No dia 20 de maio, viajei a Valjevo, uma cidade de cerca de 90 mil habitantes localizada a 100 quilômetros ao sudoeste de Belgrado. A viagem (entitualada Valjevo4Youth) foi organizada pela organização Serbia4Youth e proporcionou aos viajantes uma chance única de conhecer uma cidade não tão conhecida, porém valiosíssima para a história da Sérvia, de uma maneira dinâmica e com pessoas jovens e interessantes. Neste artigo, conto para vocês como foi e o que descobri nessa viagem. Leiam e participem também das próximas viagens da Serbia4Youth!

A Valjevo4Youth começou em um sábado de manhã com muita animação, pois viajar com sérvios não é diferente de viajar com brasileiros... Algumas pessoas até tentaram dormir, mas não demorou muito até que alguém pegasse um violão e começasse a tocá-lo ao som das muitas vozes no fundo do ônibus cantando músicas sérvias tradicionais enquanto a rakija ia passando de mão em mão para todo mundo ficar no pique. Nesse ritmo, a viagem de ônibus que já não demora muito (dura cerca de duas horas) passou super rápido!

Chegando em Valjevo, a primeira parada foi o prédio central do Museu Nacional - uma atração que vale muito a pena ser visitada. Nele, encontram-se reconstruções tridimensionais de ambientes pré-históricos, além de achados originais da região de Valjevo que datam do período Neolítico, ou seja, de 10.000 a 3.000 antes de Cristo! A viagem pelo tempo começa em uma caverna desse período, onde há fósseis de animais, ferramentas e até a reconstrução do ambiente onde um homem faz artesanato. Mais adiante, como se pudéssemos ver o passar dos anos, estão em exibição maquetes de fortalezas medievais, roupas e objetos típicos da Sérvia do período do domínio otomano (1402 a 1912), bem como reconstruções do interior de residências antigas, armas usadas na Primeira Guerra Mundial e registros de acontecimentos históricos da cidade (como quando ela ganhou seu primeiro trem, em 1905). O Museu Nacional de Valjevo é interessantíssimo - não é à toa que muitos o consideram o melhor museu da Sérvia!

Em seguida, andamos um pouco e chegamos até o chamado Muselimov Konak - a casa mais antiga ainda conservada de Valjevo, construída no século XVIII, que é o único objeto na Sérvia diretamente ligado ao episódio histórico conhecido como "A Matança dos Knezes" (Seča Knezova, em sérvio). Os knezes eram nobres sérvios, dos quais muitos eram considerados disseminadores de ideais revolucionários contra o domínio otomano. Por isso, no início de 1804, os otomanos prenderam dezenas de knezes no porão de Muselimov Konak até o dia 4 de fevereiro, quando foram executados e suas cabeças foram postas à mostra no telhado da casa. Dentre os knezes mortos na Matança, dois se destacaram por seus papéis na luta pela libertação da Sérvia: Aleksa Nenadović e Ilija Birčanin. Por causa da inquietação gerada por eles, no dia 14 de fevereiro do mesmo ano, começou a Primeira Revolução Sérvia. Portanto, podemos dizer que Valjevo é a cidade que deu início à libertação da Sérvia.

Após um breve descanso no centro de Valjevo, andamos mais um pouco até chegar a um dos símbolos da cidade: a Torre de Nenadović. Essa torre foi construída por Jakov Nenadović em 1813 no alto do morro Kličevac para servir de armazém de munição e material de construção para os revolucionários sérvios, além de ser um ótimo ponto para vigiar a cidade. Como, no fim daquele ano, os turcos dominaram Valjevo, eles passaram a controlar também a Torre de Nenadović e transformaram-na numa prisão totalmente sem luz. Quando, em 1815, Valjevo se libertou, os revolucionários encontraram dentro da torre vários sérvios aprisionados, que chegaram a ficar cegos ao saírem e terem contato com a luz do sol. Isso fez com que o comandante sérvio Sima Nenadović se revoltasse e ordenasse que a torre fosse queimada. Hoje em dia, esta importante construção de três andares está completamente restaurada e aberta ao público, que pode ver uma exposição super interessante, assistir a um curto filme que reconta a história da torre e até entrar no espaço onde realmente ficavam os prisioneiros sérvios.

Saindo da Torre de Nenadović, pegamos o ônibus e fomos até o Monastério de Lelić, localizado no vilarejo de mesmo nome, a apenas 11 quilômetros de Valjevo. Trata-se do monastério fundado pelo monge Nikolaj Velimirović, considerado por muitos o segundo maior sérvio da história, ficando atrás apenas do São Sava. Ele ficou muito conhecido pelo fato de, durante a Primeira Guerra Mundial, ter viajado a Londres para falar em praça pública sobre o povo sérvio. A maneira da qual ele falava atraía centenas de ingleses às praças, que paravam para ouvi-lo. Isso mudou a maneira como os ingleses viam os sérvios e contribuiu muito para a boa relação entre os dois povos. Pena que isso se perdeu com o tempo... No interior da igreja do monastério, está o túmulo de Nikolaj Velimirović. Quando entramos, um monge falou um pouco da história do lugar e de seu fundador, porém, apesar de eu falar sérvio fluentemente, não consegui entender muito do que ele disse. De qualquer forma, foi tocante presenciar um momento de fé dos ortodoxos beijando o túmulo do Nikolaj. Sem contar que as pinturas nas paredes da igreja são lindas!

Ao pegar o ônibus de volta para Valjevo, passamos por monumentos que são marca registrada da cidade (Valjevo é até conhecida como a cidade dos monumentos) e paramos em um mirante com um belo visual para tirar fotos. Nosso destino era a beira do rio Gradac, onde, após uma parada no supermercado para comprar bebidas, demos uma caminhada e sentamos para saborear uma pljeskavica com Valjevsko Pivo em meio à natureza. Com a barriga cheia, o pessoal aproveitou para socializar e fazer a festa com o violão mais uma vez. Até tentamos nadar, mas não conseguimos, porque, apesar do sol e do calor, a água ainda estava congelante... Aproveitamos para gravar o vídeo abaixo resumindo a viagem e dando nossas opiniões. Deem uma olhada:

Por último, como vocês ouviram no vídeo, o grupo foi a Tešnjar - a famosa área boêmia da cidade - para curtir em uma kafana e depois em uma boate, de onde saíram rumo a Belgrado só lá para as 2h da manhã! Eu, infelizmente, tive que perder essa parte por causa da meia maratona de Belgrado no dia seguinte (precisava dormir bem), mas todos me disseram que a festa foi excelente! E o pessoal brasileiro que estava comigo, não teve problemas para se enturmar com os sérvios e aproveitou bastante. Aliás, essa viagem a uma cidade sérvia com os próprios sérvios foi uma oportunidade sem igual para conhecer a história e a cultura do país através do ponto de vista local, além da chance de boa socialização com eles.

Enfim, querem saber quanto custou essa brincadeira toda? O pacote completo com transporte, almoço na beira do rio e entrada nas atrações turísticas visitadas custou apenas 40 reais (1.710 dinares)! Uma pechincha, não é mesmo?

Fique ligado!

Veja o álbum de fotos completo dessa viagem, clicando aqui: http://goo.gl/DkZgN

Leu, gostou e quer participar das próximas viagens? Fique ligado na nossa página do Facebook, onde as viagens serão amplamente divulgadas.

#serbia4youth #viagenscentrodasérvia #valjevo #viagensgeral

19 visualizações